terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Mallu – a escolha do nome.


Eu nunca poderia imaginar que uma das coisas mais difíceis durante a gestação seria a escolha do nome do bebê. Se fosse menino já estaria definido, mas para menina tínhamos algumas(muitas) dúvidas. Pensamos em nomes delicados: Heloísa, Cecília, Helena, Carina, Mariana, Beatriz e por último pensei em Júlia. O tempo foi passando e só de pensar nesses nomes eu ficava enjoada (fisicamente mesmo), não conseguia nem pensar, e os apelidos que vinham deles não me agradavam. Um dia vi um nome que achei muito bonito e cheio de significados: Maya. Conversei com o Bruce e ele não aprovou a sugestão, mas me lembrou de um nome que havíamos comentado antes da gravidez: Malu. Sempre achei bonito ver crianças sendo chamadas de Malu, porém não queríamos nomes compostos: Maria Luíza, Maria Lúcia e etc. 


Marisa
Lúcia
Algo que nos fez pensar nesse nome foram as avós Marisa e Lúcia, pensando numa forma carinhosa de homenageá-las fizemos a junção das duas primeiras sílabas de cada nome. Achei o resultado perfeito. Coloquei dois eles por que achei mais bonito e deixou com mais característica de nome e não de apelido. Dizem que cada um de nós possui sangue e características de até 8 gerações. Mallu vem de uma linhagem de mulheres fortes, que apesar das dificuldades de seu tempo, sempre arrumaram uma forma de trabalhar e ajudar na renda da família. Mallu é filha de costureiras, parteiras, professoras, curandeiras, artesãs, mulheres que tem uma mão espetacular para a cozinha e para as plantas, que conhecem o poder das ervas  e dos elementais. Ela é filha de alemães que vieram ao Brasil trabalhar nas plantações de algodão, de italianos que trabalharam no café e de  um bisavô que veio fugido de Portugal para trabalhar como caixeiro viajante. Ela é filha de negros e de índios, holandeses e poloneses que vieram do Sul e do Nordeste buscar melhores oportunidades no interior de São Paulo. Corre em seu sangue também lembranças da Segunda Guerra, de Lampião, dos tempos de Ditadura e da abertura de estradas no interior do Brasil.

 Mallu – um pedacinho de cada linhagem, que traga em seu coração a força, a honestidade e alegria que são tão características em nossa família. Mallu, se eu conseguir me tornar para você ao menos metade da mãe que suas avós são, se eu conseguir repassar as lições de bondade e alegria da Vó Lúcia e de força e determinação da Vó Marisa, filha, meu coração ficará em paz. – No Havaí Malu não é apelido, é um nome que significa: “proteção, aconchego e paz”, que assim seja!

2 comentários:

Evelise Couto disse...

Lindo! E emocionante ver que a Dani e o Bruce lá da facul, cujo namoro eu vi nascer, são agora papais de Mallu. Que pequena de sorte! Mil beijos da tia Winnie!

Dani Bertolazo disse...

Obrigada Eve, você faz parte da nossa história!!!!!!! ;)